negócios

DISTRIBUIDOR PROIBIDA » A cerveja Proibida chegará ao Maranhão em julho

Adalberto Junior

Publicação: 03/06/2011 11:34

A cerveja Proibida, que ficou conhecida pela campanha publicitária das "Tchecas", chegará ao maranhão em junho. A Companhia Brasileira de Bebidas Premium (CBBP), que vai fabricar a cerveja no Ceará, está em busca de um distribuidor exclusivo no estado, mas a empresa garantiu que o estado faz parte da estratégia inicial de vendas da nova bebida.

 (DIVULGAÇÃO)
A CBBP, fabricante da bebida que ficou conhecida após uma estratégia de marketing ousada - que utilizou o programa humorístico Pânico na TV, na emissora Rede TV, à revelia dos apresentadores e do próprio departamento comercial do canal - adiantou que por enquanto realiza processo de sondagem e de negociações com o empresariado da capital maranhense.

Segundo Lucas Afonso, diretor de marketing da CBBP, a fase de mapeamento e negociação junto ao empresariado deve ser encerrada nos próximos dias, já que o início da fabricação da Proibida, que possui características das cervejas tchecas está programado para este mês.

"Nós teremos distribuição no Maranhão, na capital e também em outros municípios. Ainda estamos em fase de mapeamento e planejamento. Teremos um distribuidor exclusivo ai no estado. Não podemos adiantar nenhum nome para manter o sigilo e não atrapalhar as negociações. Vamos iniciar as operações e no Piauí já está fechado", disse Lucas.

A cerveja que será fabricada a 40 km de Fortaleza (CE) será lançada simultaneamente em todo o Brasil. De acordo com ele, a fábrica do Ceará tem capacidade de suprir toda a demanda da região Norte e Nordeste.
Sobre a possibilidade de abertura de mais fábricas na região, Lucas não negou que há pretensões de ampliação, mas que esse será em um terceiro momento dentro da estratégia de desenvolvimento do negócio, e deverá ocorrer somente depois que a única marca da empresa estiver consolidada.
"Existe projeto não só no norte, mas também em todo o Brasil. Mas será em um terceiro momento. Estamos com parceiros estratégicos, e entrando com muita sede. Nossa capacidade é grande e não vai faltar produto", garantiu.

Fábrica

A primeira fábrica da CBBP está localizada no município de Pindoretama, no Ceará. O objetivo é produzir e distribuir cervejas de qualidade e artesanal em escala industrial. O grupo CBBP conta com a parceria de fornecedores rigorosamente selecionados ao redor do mundo como a Krones, Dedini, KHS e outros. Também figura a parceria com fornecedores de classe mundial e até mesmo com outros produtores de cerveja para a oferta de produtos inéditos e de alta qualidade nos principais estados do Nordeste do Brasil.

O parque industrial está instalado em uma área de 20 hectares e tem capacidade de 1,5 milhões de hectolitros de cerveja por ano. Foram investidos R$60 milhões na construção da fábrica que produzirá o tipo Pilsen, originária da cidade de Pilsen, hoje localizada na República Tcheca, uma cerveja encorpada e de sabor forte, mas com um perfil mais leve e grau de teor alcoólico entre 3° e 5° GL.

"Tchecas" é exemplo de Marketing Viral

Sobre a estratégia de marketing que acabou pegando todos de surpresa, inclusive o patrocinador do programa Pânico na TV, a Skol, Lucas disse que ela foi uma ação isolada, teve um ano de amadurecimento e cinco meses de execução - as duas garotas propaganda da Proibida participaram de um reality show: As Tchecas no Brasil.

"Começamos com um investimento de R$ 400 mil e acabamos gerando mais de 20 milhões de mídia espontânea. Isso tudo apostando com a interação com o usuário. Nós criamos um conteúdo e marca é como gente. Mudamos e acabamos quebrando um paradigma", disse.

O marqueteiro comentou que a campanha - que disse já estar concebida para os próximos cinco anos - está rendendo ótimos resultados. Muitas ações, segundo ele, estão sendo executadas e a maioria para o mês de junho, investindo na originalidade como diferencial das outras marcas. Ele acredita que a Proibida não é uma cerveja convencional.

"Pensamos na personalidade da marca. Pretendemos lançar outros produtos. Já estamos pensando em alguns que ainda não existem no mercado. Estamos entrando para ser a melhor, a mais ousada, moderna, em contato com o consumidor. Apostamos no trabalho com a internet, com o compartilhamento de informações, aproveitando as pessoas", concluiu.

Tudo começou com a "tchecas" Michaela Dominika espalhando através da internet que pretendiam visitar o Brasil para conhecer os atrativos naturais, festas, gastronomia e cultura. Elas criaram o blog We Luv Brazil e fortaleceram o contato com os brasileiros através de redes sociais como Twitter e Facebook. A movimentação chamou a atenção do produtores do Pânico na TV, que acabou levando ao ar um reality show com as duas belas garotas, rendendo oito capítulos.

A intenção da CBBP era criar uma história on line para chamar a atenção do público. No último dia 15, o segredo foi desvendado. Cerca de 150 profissionais estiveram envolvidos na trama que ficou sob sigilo todo esse período.
Compartilhe
| Mais

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.